19 abril, 2010

Preciso de Você

Para Mabel,

Tentei entender o porquê de agir assim
Mas logo me vi confuso
E descobri que não seria possível enfim
Ter respostas em absoluto

Nada poderia explicar a razão
Desse anseio e desejo incontrolável
Pois tudo não passava então
De um sentimento insaciável

E não sabia como agir
Ou o que dizer
Sabia apenas que devia seguir
Vivendo por viver

E por fim percebi querida
Que na vida só temos uma chance
E antes que ela seja perdida
Quero te dizer em instante

Que todos nós precisamos de um alguém
Seja ou não por merecer
E sei que nesse mundo não há ninguém
Como eu preciso de você

(Gabriel B. Rodrigues)
____________________________________________________________

Semanas super corridas, mas aqui estou novamente. Bom pessoal, vou passar a assinar os poemas a partir de agora. Todos os textos do blog são meus, porém por uma questão de créditos vou passar a assiná-los de agora em diante. Esse último foi concebido de uma forma surpreendente, fiz o esboço dele mês passado e hoje ao revê-lo o sentimento de que precisava para terminá-lo me veio quase que instantâneamente.

10 abril, 2010

Para Sempre


Quero eternizar este momento
Esse beijo
Essa tarde
Esse lugar
Você.

Ficarás comigo para sempre
Nem que por alguns minutos em que estivemos
Só nós
Só nós
E mais ninguém.

Os sussurros no ouvido
Teus olhos sobre os meus
As juras de amor
Quero guardar tudo, todos eles
Só pra mim,
Só pra mim,
Teus.

O calor do teu corpo quando em meus braços
Tua mão em meu rosto
Nossos lábios
Amor

Vou te eternizar meu amor
Passaremos, seremos pó ao vento
Mas estarás aqui
Comigo
Em mim

Para Sempre.
________________________________________________________

Hoje eu vejo como é difícil conciliar a vida de estudante e poeta, parecem coisas análogas (risos). Mas aqui estou me permitindo mais uma vez. Obrigado a todos pelas críticas, elas tem me estimulado bastante, fico realmente grato por aqueles que reservam um pouco de seu tempo para estes poemas.

01 abril, 2010

Sonho


Imaginei um dia perfeito
E lá estava você sorrindo pra mim
E quando eu te pedia sem jeito
Você dizia que sim

Caí então da cama
E comecei a gargalhar
O pequeno sonhador de pijama
A realidade tinha de voltar

E naquele quarto escuro
De seu sonho teve que partir
Porém o mais difícil disso tudo
Era voltar a dormir
_____________________________________________________
Poeminha simples, para não perder o costume. Pensei em tantas coisas para escrever, porém ultimamente tenho optado pela simplicidade.