25 dezembro, 2007

Tempo de Mudança

Os acordes já não são mais os mesmos
A música é triste
Os versos desolados contam a nova história

O aroma já não é mais doce e encantador
É pútrido
Causa repulsa, como se estragado

As visões são turvas
Opacas, sem cor
Perderam o brilho, não possuem o foco da clareza

A razão? Ah! A razão!
Esta parece ter se perdido em seus próprios paradigmas
Definhou em teorias, agora vãs
Não mais cogitadas
Desnecessárias

Aquelas palavras que retratam o que se é sentido
Perderam o sentido
Inverteram-se
Não se qualifica mais, não se sabe mais

Os tempos enfim mudaram, ou mudam como preferir
Talvez seja a tendência natural das coisas
Talvez mudanças inesperadas, acasos
Ou talvez resultado de um conjunto que forma um todo
E acarreta em tudo aquilo que se é notório
Uma história

Destino? Não

Apenas tempo de mudança

06 dezembro, 2007

Caso Pensado

Incompreensível. Esta lhe seria a atribuição mais correta
E ele já perdeu a vontade de entendê-la
Pois havia algo novo no ar, ele descobrira um lado até então desconhecido
Um lado interessante em sua personalidade

Recordava-se do início de tudo
E de como era tudo tão diferente
De como estão mudados
E das coisas que jamais voltariam a ser como antes

Melhores agora? Talvez, há muitas perspectivas
Muitos fatos. Porém mais próximos, sem dúvida

E ela torna a surpreendê-lo
Mesmo ela lhe sendo previsível em muitas ocasiões
Mas logo em seguida volta-se ao incompreensível novamente
E ele, volta-se a seu estado de dúvida fundamental
Ou simplesmente busca de uma nova motivação no outro

E afinal ele questiona-se por que ainda aqui? Por que ainda assim?
Ela? Já não sabe
Incompreensível
Já dito
Já cogitado
Imaginado

Caso pensado