25 dezembro, 2007

Tempo de Mudança

Os acordes já não são mais os mesmos
A música é triste
Os versos desolados contam a nova história

O aroma já não é mais doce e encantador
É pútrido
Causa repulsa, como se estragado

As visões são turvas
Opacas, sem cor
Perderam o brilho, não possuem o foco da clareza

A razão? Ah! A razão!
Esta parece ter se perdido em seus próprios paradigmas
Definhou em teorias, agora vãs
Não mais cogitadas
Desnecessárias

Aquelas palavras que retratam o que se é sentido
Perderam o sentido
Inverteram-se
Não se qualifica mais, não se sabe mais

Os tempos enfim mudaram, ou mudam como preferir
Talvez seja a tendência natural das coisas
Talvez mudanças inesperadas, acasos
Ou talvez resultado de um conjunto que forma um todo
E acarreta em tudo aquilo que se é notório
Uma história

Destino? Não

Apenas tempo de mudança

2 comentários:

Thiara disse...

"Apenas tempo de mudança"

...

que seja entao ne?
saudade de vc, FULEIRO.
¬¬'

Juliete Alves disse...

Mudar,mas que mera passagem de um estado para outro:uma oportunidade de reiventar a vida.
Parabéns pelos belos textos!