30 março, 2014

Poema #6

Corpos juntos
Teu cheiro
Cabelo no rosto

Anacrônico

Sussurros
Promessas
Aquele sorriso

Farsa

Conhaque
Lençóis jogados              
Um blues

Se foi

Parado à janela
Folhas ao vento
Tarde vazia

Fragor

Cartas ao chão
Memórias
Estilhaço
Porta aberta
Voltar

(Gabriel B. Rodrigues)

____________________________________________
Poema que escrevi de uma só vez, as palavras simplesmente
vieram a minha cabeça, e tudo fez sentido.

23 março, 2014

Botequim



Ah! Candeias de m’alma
Que desvanecem no escuro da noite
Já não me aquecem na brisa alva
A castigar-me como um açoite

E então me lembro de que sou fugaz
E até mesmo um tanto arredio
E ainda sim, não fui capaz
De vencer esta falta de brio

E entre goles de um trago barato
Neste botequim sujo
Estou como minha vida, largado
Entre promíscuos e vagabundos

Aguardo apenas o trem das seis
Para embarcar no vagão da desilusão
Acho até me acostumei
Com esta falta de razão
E se estiver sóbrio até lá
Espero não mais voltar
A esta mesma estação

(Gabriel B. Rodrigues)

___________________________________________________
Depois de 3 anos de inatividade, voltei a ter uma inspiração repentina,
e decidi voltar a postar. Não sei em que isso vai dar, acho que apenas
precisava escrever.

17 março, 2014

Se Voltar


Será que deixei de ser eu mesmo?
Ou na verdade sou apenas isto de fato?
Perguntas como estas quando se anda a esmo
Podem ser prato bem ingrato

Como antes já não me vês
E realmente tão pouco parece ser
Em minhas palavras já não crês
E aí então comecei a perceber
Que a mudança pode ser boa
Mas se for à toa
Talvez não mereça acontecer
.
.
.
Afinal,
Se voltar...
Lá ainda vai estar aquele garoto
Franzino e maroto,
A te procurar...


(Gabriel B. Rodrigues)