08 dezembro, 2006

Uma vida fútil, Um vazio nunca preenchido?

Estava a conversar com um amigo, e quando lhe perguntei como estava este responde-me:

“Na verdade sobrevivendo tendo em vista que o conceito de viver naum se adequa a minha atual situação.”

“Normauz pow eu cheguei ao ponto de me sentir uma alma morta em corpo vivente entende?”


Comecei a pensar nesse tipo de perspectiva de vida, que já cheguei a compartilhar algumas vezes, e não foi muito difícil compreender o porquê.

Pois simplesmente é quando você perde a perspectiva de viver. Perde aquele brilho que lhe acompanha, aquela chama de esperança de dias melhores, de que você pode mudar o que está a sua volta, ou simplesmente de alcançar seus sonhos. Então é quando você se torna realista (às vezes um pouco d+).
Ou quando se caiu d+, e levantar-se e recomeçar simplesmente tornou-se fatídico.

Porém com se algo dentro de mim se confrontasse com essa perspectiva, penso na felicidade. Não como solução única e remediável, porém sem dúvida de valor imensurável.
Felicidade é superação, é acordar num novo dia e dizer: Hoje vou vencer! E ao deitar dizer: Foi muito bom, mas amanhã vou aplicar o que aprendi hoje, e fazer um mundo melhor. É se sentir alegre consigo mesmo, é dar risadas até ficar com a barriga doendo, é deitar na grama e olhar para as nuvens no céu, é se sentir amado. Em fim, é viver intensamente.

1 comentários:

Rin Takashi disse...

perfeito gabriel!
um dos melhores textos!
e o importante msmo eh ser feliz acima d tdo!
fazer os dias lindos e as pessoas melhores issu k importa!
love u!!! hauhauha
x*******************************

yuna-