09 novembro, 2006

Escuridão de Pedra

Pequenas luzes acessas nas minúsculas janelas, dentre tantas
Pequenos pontos luminosos a se perder nessa imensa escuridão de pedra

Silêncio, tensão, medo
Ruas vazias e sem vida

Calafrios do vento noturno
A sussurrar por entre becos escuros

Realidade nua e crua, jogada no asfalto fétido
Desta interminável noite sem estrelas


Um pequeno texto que fiz, para não ficar sem atualização, que apesar de simples, reflete alguns pensamentos meus.

3 comentários:

HeryckDM disse...

e eu que tive dia de EMO em?

Rin Takashi disse...

parece um poesia modernista!;D
ta podendo gabriel!XD
x***********************************

Nathi disse...

"Calafrios do vento noturno"

isso foi mágico!